Home Novidades Notícias Corporativas Custos de produção caem 4,6% no segundo trimestre

Custos de produção caem 4,6% no segundo trimestre

Dados do mais recente relatório Indicador de Custos Industriais (ICI), que é feito pela CNI (Confederação Nacional da Indústria), apontaram que os custos industriais caíram no segundo trimestre de 2023. Em comparação ao primeiro trimestre do ano, a queda foi de 4,6%.

O indicador é composto de três medições: o custo de produção, o custo de capital e o custo tributário. O custo de produção é dividido ainda em custo com energia, custo com pessoal e custo com bens intermediários.

Com exceção do custo com pessoal, que teve alta de 1,4%, todos os outros indicadores caíram.  A maior redução foi no custo de capital, que caiu 6,3% do primeiro para o segundo trimestre de 2023.

Segundo a CNI, a queda no custo de produção é em parte explicada pela redução dos custos com bens intermediários, que estão em queda gradual desde 2022. Os custos com bens intermediários nacionais caíram 6,2% do primeiro para o segundo semestre e com os importados, 9,2%.



João Luiz, proprietário da Sansei Válvulas, que distribui produtos industriais, avalia essa queda como positiva para o mercado, mas alerta que os custos não são o único indicador que precisa ser considerado. “A qualidade do produto final, o serviço entregue, o atendimento oferecido pela empresa, tudo isso acaba impactando a movimentação econômica do setor industrial, para além dos custos associados diretamente à aquisição do produto”, explica.

Ainda segundo o relatório, essa melhora nos preços de produtos industriais é confirmada pela indústria, que já não considera o alto custo de matéria prima como um dos piores problemas enfrentados pelos industriais. A CNI aponta uma “normalização” no fornecimento de insumos, após períodos de dificuldade devido à pandemia e à guerra na Ucrânia.

João Luiz confirma essa percepção, do ponto de vista de fornecedor, e acrescenta que o serviço de acompanhamento oferecido pela empresa que atende a indústria pode ter tanto impacto quanto o custo monetário na produção. “Um custo reduzido para a aquisição do produto pode acabar não compensando tanto sem uma consultoria especializada para o uso ou instalação”, finaliza.

Para saber mais, basta acessar:  www.sanseivalvulas.com.br 

Custos de produção caem 4,6% no segundo trimestre



Previous articleQuase 60% do alumínio consumido no Brasil vem da reciclagem
Next articleSetor de locação de máquinas e equipamentos movimenta R$ 28 bi