Home Novidades Notícias Corporativas Especialista em imóveis explica como amortizar um financiamento imobiliário

Especialista em imóveis explica como amortizar um financiamento imobiliário

Realizar o financiamento de um imóvel envolve diversas questões e gera muitas dúvidas nos compradores. Entre as dúvidas mais comuns no processo de financiamento, estão o funcionamento da amortização e quais as vantagens dessa prática no planejamento financeiro. Para explicar essas questões, Babiton Espindola, CEO da da Urban Company, imobiliária especialista em investimentos, comenta sobre o assunto.

Um financiamento imobiliário se trata basicamente do empréstimo de uma instituição financeira para adquirir a propriedade desejada. Esse montante é pago ao longo de um período pré-determinado, geralmente em parcelas mensais, e inclui não apenas o valor principal do imóvel, mas também os juros e, eventualmente, outros encargos.

Nesse processo, de modo simples, a amortização se trata da redução gradual do saldo devedor de um empréstimo. No caso dos financiamentos imobiliários, a amortização pode ser utilizada para aliviar o valor total devido ao financiamento e quitar as parcelas em menor tempo.

Segundo Babiton Espindola: “A amortização em um financiamento imobiliário ocorre mensalmente, sendo parte integrante do valor total da parcela paga. Essa prática contribui para que o comprador alcance a sonhada quitação do imóvel de forma mais eficiente e se livre da dívida antes”.



Ainda de acordo com Espindola, existem diferentes tipos de amortização de financiamento imobiliário, que podem variar de acordo com o tipo de contrato com a instituição financeira. Mas, os mais comuns são a Tabela Price e o Sistema de Amortização Constante (SAC).

A Tabela Price apresenta prestações fixas, em que a parcela destinada à amortização aumenta ao longo do tempo, enquanto os juros diminuem. Nesta modalidade, ao início do financiamento, a parcela é composta principalmente por juros e, com o passar do tempo, a proporção se inverte e a parcela passa a ser composta mais pelo valor de amortização do que de juros.

Enquanto, com o SAC, a parcela destinada à amortização permanece constante, mas os juros diminuem. Isso implica em prestações decrescentes ao longo do tempo. Ou seja, o valor da primeira parcela do financiamento será maior do que a segunda e assim por diante. 

“A amortização imobiliária proporciona benefícios para a vida financeira de quem financiou, pois acelera o processo de quitação do financiamento. Além disso, assegura uma redução dos juros, diminuindo o custo total do financiamento”, completa Espindola.

Considerando todos os benefícios da prática, segundo o especialista, a chave para o sucesso na amortização imobiliária está na consistência dos pagamentos. Se o comprador seguir seus pagamentos de modo equilibrado, poderá ampliar suas oportunidades de pagar menos e, assim, ter melhores resultados em seu planejamento financeiro.

Especialista em imóveis explica como amortizar um financiamento imobiliário



Previous article“Nature Research Journal” apresenta as conquistas do UAEREP na produção de chuva artificial
Next articleProcura por voos para as férias de janeiro cresceu 35%