Home Novidades Notícias Corporativas Incêndio em sistema fotovoltaico traz lições sobre segurança

Incêndio em sistema fotovoltaico traz lições sobre segurança

No dia 16 de janeiro, uma edificação industrial às margens da BR-101, em Araquari (SC), foi cenário de um incêndio em um sistema de energia solar, destacando a vulnerabilidade de instalações fotovoltaicas. O Corpo de Bombeiros mobilizou recursos consideráveis, utilizando 15 mil litros de água e uma plataforma especializada para controlar as chamas, que afetaram cerca de 30 m² do telhado.

Enquanto as autoridades locais apuram a causa do incidente, especialistas alertam para os riscos associados à negligência em normas técnicas durante a instalação de sistemas fotovoltaicos. Muitos problemas em circuitos elétricos estão vinculados ao subdimensionamento de cabos e falhas nas conexões.

Conforme matéria do Canal Solar, a inadequada crimpagem de conectores, especialmente com ferramentas improvisadas, torna-se um ponto de destaque. Martelos e alicates não recomendados pelo fabricante podem comprometer a conexão elétrica entre cabo e conector, resultando em falhas perigosas.

Além disso, a ausência de cuidados com normas técnicas, como NBR 5410, NBR 16690 e NBR 16612, durante o dimensionamento de cabos de baixa tensão e requisitos de instalação, abre espaço para incidentes catastróficos. Por isso, é necessário manutenções periódicas, incluindo a checagem e reaperto das conexões do sistema instalado, além de instalação por uma equipe especializada.

Em contrapartida, há tecnologias avançadas presentes nos inversores no mercado, que oferecem uma solução robusta e segura. AFCI (Interruptor de Circuito de Falha de Arco) é característica essencial que previne incêndios ao detectar falhas elétricas.



“A recente ocorrência em Araquari (SC) destaca os desafios enfrentados pelas instalações fotovoltaicas, reforçando a necessidade de medidas proativas. Ao integrar tecnologias avançadas, como o AFCI e o Rapid Shutdown, em nossos inversores solares, visamos não apenas fornecer energia limpa, mas também garantir a segurança de nossos clientes”, afirma Bruno Monteiro, CSO da HDT.

Como funciona o AFCI?

O AFCI, ou Interruptor de Circuito de Falha de Arco, desempenha um papel crucial na prevenção de incêndios em sistemas fotovoltaicos. Em caso de uma falha de arco elétrico, o AFCI reage de forma imediata, detectando as alterações características desse fenômeno.

Ele é projetado para interromper rapidamente o circuito envolvido, isolando a anomalia e evitando a propagação de correntes perigosas. Essa ação instantânea não apenas protege os componentes do sistema, mas também reduz drasticamente o risco de ignição, assegurando um ambiente seguro.

Ao integrar o AFCI nos inversores solares, uma camada adicional de segurança é adicionada, reforçando a confiabilidade e a tranquilidade dos usuários em relação à integridade de seus sistemas fotovoltaicos.

No link a seguir é possível saber mais sobre os Inversores Huawei: https://materiais.hdt.energy/seguranca_huawei/



Incêndio em sistema fotovoltaico traz lições sobre segurança



Previous articleCirurgiões estão criteriosos ao escolher onde operar
Next articlePrevalon Energy assegura contrato com a Idaho Power para novo sistema integrado de armazenamento de energia em baterias (BESS)