Home Novidades Notícias Corporativas Metade dos compradores se prepara para comprar na Black Friday, dizem estudos

Metade dos compradores se prepara para comprar na Black Friday, dizem estudos

O cenário econômico do Brasil está em constante mudança, e o comportamento do consumidor em 2023 está refletindo essa realidade. Um estudo recente, disponível no Infográfico Panorama do Consumo na Black Friday 2023, desvendou o panorama financeiro dos consumidores brasileiros, destacando tendências de compra, influências de eventos como a Copa do Mundo, métodos de compra, e perspectivas para a Black Friday e outras datas comemorativas.

A vida financeira dos brasileiros tem sido desafiadora nos últimos meses, com 62% dos consumidores informando que sua situação piorou um pouco ou se manteve igual. No entanto, há um otimismo cauteloso, com 60% acreditando que sua situação financeira deve melhorar no segundo semestre de 2023.

A classe social também desempenha um papel importante na percepção, com a classe AB sofrendo menos impacto, enquanto as classes C e DE são mais afetadas. A pesquisa apontou ainda que o faturamento de e-commerces, em geral, deve aumentar 10% em 2023, com ganhos reais descontando a inflação sendo de 4%. Há expectativas positivas de crescimento nas vendas do varejo no segundo semestre, com o 4T sendo uma parte vital dessa recuperação.

Panorama da Black Friday em 2022 e expectativas

A Black Friday de 2022 teve uma queda significativa tanto no e-commerce quanto no varejo, com uma diminuição de 28% no faturamento online, marcando a primeira queda desde o início do evento no Brasil em 2010. A Copa do Mundo parece ter desempenhado um papel negativo na data, com 37% acreditando que as vendas da Black Friday foram prejudicadas pelo evento mundial. 



Para a Black Friday de 2023, 62% da classe AB pretende realizar compras. A pesquisa prévia é vista como crucial para encontrar bons preços. Além disso, os consumidores estão usando uma mistura de métodos de compra, incluindo aplicativos e lojas físicas.

O estudo também detalha a representatividade de vendas por dispositivo e os principais métodos de pagamento, destacando as diferenças na escolha entre loja física e online. Com quase 50% das pessoas se preparando para a Black Friday, inscrevendo-se em listas VIP, baixando aplicativos, e 63% assistindo a programas de vendas na TV Aberta, existem oportunidades significativas para programas de descontos ao vivo e estratégias de marketing direcionadas.

Este levantamento, publicado pela Gente.Globo, oferece visão detalhada da situação econômica dos consumidores brasileiros e suas perspectivas de compra, influência de eventos, métodos de compra, e tendências de marketing relacionadas à Black Friday e outras datas comemorativas. 

Segundo os dados apresentados, as incertezas econômicas podem ter gerado uma paisagem complexa, mas também criaram oportunidades para negócios ágeis e focados no cliente prosperarem no ambiente de varejo em constante mudança do Brasil.

Como vender mais na Black Friday?

Eduardo Rodrigues, COO do Moskit CRM, uma empresa de tecnologia para vendas que atua no mercado de tecnologia para operações comerciais, enfatizou a importância da análise de dados na preparação da data. “As empresas devem entender o comportamento do consumidor e as tendências de compra e se preparar para datas importantes, como a Black Friday. Os dados da pesquisa mostram o interesse, então cabe ao gestor identificar oportunidades de segmentação e personalização. Tem que estar de olho no processo pelo qual um potencial cliente passa, entender o seu funil de vendas, realizar melhorias e estar preparado”, explicou.

Segundo Rodrigues, a Black Friday transcendeu suas raízes no varejo para se tornar um catalisador de consumo em várias indústrias. “A Black Friday não é mais apenas um evento de varejo. É uma data que incentiva o consumo em geral. Por isso, não é só dar desconto, tem que entender as necessidades do cliente, usar as técnicas de vendas certas e oferecer soluções personalizadas”. Ele destacou como empresas em setores tão diversos como tecnologia, viagens, saúde e bem-estar estão capitalizando sobre essa tendência.

Em relação às características particulares do CRM da Moskit, Rodrigues esclareceu que foram implementadas análises de maior complexidade e integrações que possibilitam aos usuários compreender o comportamento dos consumidores e adaptar suas ofertas. Essas melhorias visam otimizar o desempenho da Black Friday para os clientes, com a inclusão de forecast de vendas mais precisas e estimativas baseadas em dados históricos e análise de tendências.

Quanto à estratégia de marketing, Rodrigues enfatizou o desenvolvimento de uma campanha robusta que ressoe com o público-alvo. “Isso inclui gerar uma antecedência de que vai valer a pena, pensar em ofertas exclusivas, promoções e comunicação clara sobre a data”, observou.

Sobre a preparação tecnológica, ele lembrou que a infraestrutura tecnológica precisa estar apta para o aumento do tráfego e das transações e também reforçou sobre o treinamento da equipe. “A Black Friday pode ser estressante para a equipe. Certifique-se de que vendedores e equipe de suporte estão treinados, apoiados e prontos para oferecer um excelente serviço ao cliente. Com um bom planejamento de vendas  é possível antecipar a demanda, gerenciar o estoque, definir descontos e criar campanhas de marketing eficazes”, aconselhou.

Rodrigues ainda ressaltou a importância da adaptação, e da necessidade em estar preparado para monitorar as tendências em tempo real e adaptar-se conforme necessário. “Uma estratégia sólida, mas com certa flexibilidade criativa pode ser a chave para o sucesso nessa data”, concluiu.

Metade dos compradores se prepara para comprar na Black Friday, dizem estudos



Previous articleHábitos dos brasileiros mudam o modo de se alimentar
Next articleSegmentação de clientes impulsiona resultados financeiros