Home Novidades Notícias Corporativas Nível de atividade da Indústria da Construção aponta queda

Nível de atividade da Indústria da Construção aponta queda

Em publicação realizada pelo Portal da Indústria no estudo Sondagem Indústria da Construção houve uma queda no nível de atividade e no número de empregados nos setores analisados pelo estudo, afastando-se da marca de 50 pontos, que é a linha divisória da pontuação. O relatório informa que apesar de ser esperada uma performance mais fraca em janeiro, tanto o índice de atividade quanto o de emprego apresentaram comportamento médio acima do esperado para esse mês, segundo dados do estudo.

No estudo, é possível observar que a queda na atividade, embora seja típica desse período, foi mais branda em comparação com anos anteriores, com o índice registrando 45,4 pontos, indicando uma diminuição de 2,3 pontos em relação a dezembro de 2023.

Além disso, nota-se que o índice de evolução do número de empregados também registrou sua terceira queda consecutiva em janeiro de 2024, alcançando 44,9 pontos. Apesar disso, ainda segundo o relatório, o índice permanece acima do comportamento médio esperado para o mês de janeiro, indicando uma atividade maior do que o habitual para esse período, conforme pode ser analisado no documento divulgado.

O estudo também disponibiliza dados sobre a Utilização da Capacidade Operacional (UCO), que aponta um avanço de 2,0 pontos percentuais em janeiro de 2024, atingindo 68%. Esse aumento foi igualmente maior (+2,0 p.p.) em comparação com janeiro de 2023, segundo dados do relatório.

José Antônio Valente, diretor da empresa de franquias de construção civil Franquias Trans Obra, afirmou que é fundamental considerar os desafios em potencial que podem impactar a trajetória futura do setor. Questões como volatilidade nos preços das matérias-primas, escassez de mão de obra qualificada e incertezas geopolíticas podem representar obstáculos significativos que requerem abordagens estratégicas e inovadoras para mitigação. “Os líderes da indústria da construção devem adotar uma abordagem proativa, investindo em tecnologias disruptivas, promovendo a capacitação da força de trabalho e mantendo-se ágeis para se adaptarem a um ambiente em constante mudança”.



Ainda sobre o relatório, que pode ser consultado através do link informado no início da matéria, encontra-se dados sobre o Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) da Indústria da Construção que registrou uma queda de 2,1 pontos em fevereiro de 2024 em comparação com janeiro do mesmo ano, situando-se em 53,4 pontos.

Perguntado sobre o assunto, José Antônio afirmou que apesar da queda no índice de confiança do empresário industrial ter sofrido uma queda, o número ainda permanece acima dos 50 pontos da linha divisória. “Os dados apresentados no estudo são importantes tanto para grandes empresas já estabelecidas quanto para empresas novas que estão iniciando suas atividades no setor da construção. Dizer apenas ‘quero abrir uma franquia‘ ou ‘vou iniciar uma empresa’ não é o suficiente. O empresário deve estar atento aos estudos feitos no setor para tomar decisões assertivas, pois suas escolhas impactam diretamente no número de empregados, na capacidade operacional, nos investimentos, na capacidade produtiva, entre outros.”

Nível de atividade da Indústria da Construção aponta queda



Previous articleTokenização reinventa estruturas do mercado financeiro
Next articleIBRI realizará evento sobre Comunicação Assertiva para Relações com Investidores