Home Novidades Notícias Corporativas Pernambuco é o primeiro estado do Brasil a assinar pacto BIM

Pernambuco é o primeiro estado do Brasil a assinar pacto BIM

Entidades ligadas ao setor da construção civil de Pernambuco assinaram o Pacto BIM, uma metodologia que tem como objetivo promover a transformação digital da gestão do setor. A partir da assinatura, os participantes se preparam para uma nova etapa de inovação e eficiência na gestão e execução dos projetos. Ao todo, nove entidades assinaram o documento.

O Pacto BIM foi implementado na Associação das Empresas do Mercado Imobiliário de Pernambuco (Ademi-PE), em parceria com a Associação BIM de Pernambuco (ABIN-PE) e o Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado de Pernambuco (Sinduscon-PE), através do Incontec, comitê técnico criado pela Associação para analisar e estudar novas tecnologias que tragam eficiência à construção civil.

Entre as principais ações estratégicas do Pacto BIM Pernambuco, estão a sensibilização, difusão e divulgação da metodologia, capacitações e mentorias para empresas associadas, articulação e divulgação de financiamento para hardware, software, consultoria e treinamento, além da retomada do Grupo de Trabalho (GT), que reúne os principais atores do trade em Pernambuco. Outra ação prevista é com as universidades, para que haja uma adequação da grade curricular, inserindo a metodologia BIM no ensino.

“Temos como objetivo disseminar o conhecimento sobre o BIM e ampliar seu uso, fornecendo informações ao mercado sobre a digitalização da construção. A união de entidades do setor, empresários e estudiosos do tema proporciona um ambiente de colaboração entre profissionais”, afirmou o presidente da Ademi-PE, Rafael Simões.

Na visão do presidente da ABIM-PE, Tiago Lopes, a transformação digital está presente em diversos setores da indústria, e a construção civil precisa acompanhar os avanços da digitalização no setor. “O BIM já está inserido em nosso mercado, mas precisamos mostrar isso para os atores envolvidos. A nova Lei de Licitações já coloca como preferenciais projetos em BIM desde 2017. Já temos um decreto federal para o uso do BIM no país, e agora, em 2024, o presidente Lula assinou a nova Estratégia BIM-BR. A tendência é só evoluir”, afirmou.



A diretora-executiva do BIM Fórum Brasil, Raquel Ribeiro, afirmou a importância de o país estar inserido numa discussão mundial sobre o uso da ferramenta. “É uma oportunidade de captar as novidades e sugestões apresentadas, como também influenciar em normas e padrões mundiais, colocando o Brasil no centro das discussões”, declarou a gestora. Ela afirmou, ainda, que o Brasil foi o primeiro país da América Latina a integrar o fórum mundial.

O representante do conselho administrativo do BIM Fórum Brasil, Jefferson Gois, destacou que o Pacto BIM firmado em Pernambuco foi o primeiro do Brasil a unir vários agentes de um estado. “Ele vai servir como diretriz para outros pactos que serão firmados no Brasil. É preciso agir de forma conjunta, integrada e colaborativa entre todos os atores para que possam surgir novas parcerias”, afirmou.

O Sebrae-PE é um parceiro estratégico na adoção da metodologia BIM no estado. “O Sebrae é um parceiro histórico da construção civil, acompanhando e estimulando processos que melhorem a gestão, digitalização e modernização das empresas, contribuindo com o estudo de tendências e cenários para nortear as ações dessas empresas. O BIM é uma dessas ferramentas que pode contribuir para otimizar resultados e reduzir custos. Precisamos ampliar a disseminação do BIM por todo o estado”, afirmou a diretora técnica do Sebrae-PE, Josiana Ferreira.

O presidente do Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU-PE), Roberto Salomão, destacou que o BIM representa uma ferramenta importante para controlar as etapas da obra e, mais do que isso, unifica a comunicação entre as diferentes gerações que hoje trabalham juntas. “Temos profissionais de todas as idades atuando juntos. É a primeira vez que quatro ou cinco gerações estão convivendo, e o BIM contribui para unificar essa linguagem com rapidez e competência para a entrega de produtos”, afirmou.

Já o presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA-PE), Adriano Lucena, destacou a relevância da iniciativa de Pernambuco em criar o Pacto BIM. “É uma ação que irá levar conhecimento e oportunidade para todo o estado, promovendo novas técnicas para a engenharia e trazendo bem-estar para a população”, acrescentou.

Mais sobre o BIM

O BIM (Building Information Modeling ou Modelagem de Informações da Construção) é uma metodologia que utiliza softwares para a modelagem tridimensional de construções. Com isso, é possível desenvolver um modelo em 3D do empreendimento, permitindo o acompanhamento de todas as etapas da obra, até após a finalização. Ela proporciona uma visão completa, permitindo a interação de todos os envolvidos na obra e o acompanhamento de cada etapa, criando um ambiente colaborativo. Também é possível prever problemas e garantir uma gestão que otimize os processos.

A implementação do BIM na construção civil pode trazer benefícios para o empreendimento e o gestor do projeto, tais como a melhoria na comunicação entre colaboradores de setores distintos; uma maior colaboração entre os envolvidos no projeto; redução nas falhas, retrabalhos e perdas; melhoria na gestão, com a eficiência do orçamento, melhor controle sobre as etapas e auxílio no cumprimento de prazos; além de facilidade para identificar não conformidades e corrigi-las rapidamente.

BIM em obras públicas

O Decreto Federal nº10.306, assinado em abril de 2020, reconhece a necessidade e as exigências do uso da metodologia BIM em obras públicas. Ou seja, as construtoras que participam de licitações de obras públicas federais deverão inserir o BIM como ferramenta na execução dos projetos, seja de forma direta ou indireta na gestão da obra.

Pernambuco é o primeiro estado do Brasil a assinar pacto BIM



Previous articleRobôs na indústria devem chegar a 700 mil unidades em 2026
Next articleCidades inteligentes no Brasil: iniciativas recentes e perspectivas futuras