Home Novidades Notícias Corporativas Primeira PPP habitacional de SP firma contrato com moradores

Primeira PPP habitacional de SP firma contrato com moradores

A primeira parceria público-privada de habitação da cidade de São Paulo evoluiu para uma etapa marcante: o início das assinaturas dos contratos dos  futuros residentes do Edifício IPÊ (Bresser II). O empreendimento é fruto de parceria inédita entre a prefeitura de São Paulo, o governo do Estado de São Paulo e a concessionária Teen. Viabilizada pelos programas de moradia “Pode Entrar” e “Casa Paulista”, a parceria tem o objetivo de produzir moradias acessíveis de qualidade na Mooca, em São Paulo, contribuindo para a oferta de imóveis localizados em regiões estratégicas da cidade e com acesso à infraestrutura urbana.

Os sete lotes que compõem a parceria público-privada abrigarão famílias com renda mensal de 1 a 6 salários mínimos, priorizando mulheres chefes de família e trabalhadores da região. É o caso da atendente Ana Maria dos Reis, que há 8 anos atua em um centro médico de referência na Mooca e é responsável pelo sustento da família. Hoje, seu trajeto até o trabalho costuma demorar cerca de 1 hora e meia, envolvendo dois ônibus e metrô. Com a mudança de endereço, esse tempo será reduzido para cerca de 30 minutos. 

Ana Maria compartilha ainda que está muito realizada com a mudança: “Desde que eu conheci a Mooca, sempre quis morar lá. É um bairro agradável, voltado para o centro, próximo aos deslocamentos, com mais facilidades, organização, segurança… É uma felicidade enorme essa conquista, não só pela distância do trabalho, mas de poder chegar em casa mais cedo e descansar um pouco mais, porque a rotina da mulher trabalhadora não é só a do trabalho”. 

Mãe de cinco filhos, sendo um deles portador de deficiências múltiplas e inscrito para atendimento na AACD Mooca, Viviane dos Santos também se emocionou ao firmar o compromisso com a futura moradia. “Minha vida já começou a mudar. Minha família não vai precisar mais ficar se mudando, porque eu já mudei demais para ficar em um ambiente que fosse melhor pra eles, e hoje eu só moro onde estou por causa de ajuda de familiares”



Já a beneficiária Cleidiane Lopes Tragino é cozinheira escolar de uma empresa sediada no bairro, e espera que essa mudança mude sua qualidade de vida e a de seu filho, de 14 anos. Ambos compartilham que estão animados com a nova vida: “Vai ser muito diferente, um mundo novo para nós”, afirmam.

Outro contemplado é o balconista Joilson Ribeiro de Souza, que costuma levar cerca de 40 minutos de ônibus para chegar ao trabalho. Com o novo endereço, ele gastará cerca de 15 minutos à pé. “Eu vim da Bahia para São Paulo com o intuito de uma casa própria, mas já foram 13 anos pagando aluguel… um dia você está um endereço, outro dia em outro, então para o meu filho vai ser uma melhoria imensa, de ter mais estabilidade de moradia. Facilita até mesmo na educação da criança”, ele relata. 

Primeira PPP habitacional de São Paulo

A seleção dos beneficiários é baseada no cadastro habitacional da Companhia Metropolitana de Habitação de São Paulo (Cohab), vinculada à prefeitura, e da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU), vinculada ao Governo do Estado. O primeiro empreendimento a ser entregue será o Bresser II, atualmente em fase de execução das fundações. Localizado entre as ruas Bresser e dos Trilhos, próximo à estação Bresser–Mooca do metrô, o Bresser II contará com quatro torres, totalizando 290 unidades, dispostas em edifícios sem muros, lojas no térreo e integradas a um conjunto de praças com cerca de 2.000 m². O Bresser II foi projetado para oferecer moradias, mas vai além ao proporcionar também espaços de convívio e lazer para seus moradores.

Como parte do contrato firmado com o poder público, a Teen assumirá a gestão condominial desses empreendimentos por vinte anos, garantindo a manutenção da infraestrutura e dos serviços prestados. A abordagem tem o objetivo de não apenas entregar unidades habitacionais, mas também promover uma mudança socioeconômica duradoura na região.

“Ao ir além da entrega das unidades e cuidar também da gestão, garantimos a devida manutenção e controle dos valores do condomínio e dos serviços prestados, contribuindo para uma mudança socioeconômica em toda uma geração, algo bastante raro nos projetos de moradia social”, afirma Gustavo Partezani, diretor da Teen Desenvolvimento Imobiliário. A companhia é uma Sociedade de Propósito Específico (SPE) criada pelas empresas Telar Engenharia e Engeform Engenharia para assumir o investimento de R$ 400 milhões e produzir 2.760 apartamentos no total.

Gestão dos condomínios e melhoria do entorno

Outro destaque da parceria é o compromisso da Teen com o desenvolvimento do entorno dos empreendimentos. Além da construção de moradias, como parte das contrapartidas assumidas pela Teen, estão previstas ainda a instalação de equipamentos públicos como escolas, Unidades Básicas de Saúde e ciclovias. A empresa assumiu ainda, por meio de um convênio, a reforma de duas bibliotecas públicas da região.

A biblioteca Affonso Taunay, situada na Rua Taquari, 549, bem em frente ao empreendimento Bresser II, será totalmente reformulada para acomodar o acervo de maneira mais racional e segura, além de abrigar salas multiuso e melhorias de acessibilidade. Já a biblioteca Adelpha Figueiredo, que fica na Praça Ilo Ottani, 146, no Pari, será reformulada para dar mais conforto à programação cultural atual e adequar sua área externa, hoje subutilizada.

A escolha da Mooca como área para criação de moradias acessíveis vai na contramão do da produção habitacional tradicional, que costuma optar por terrenos afastados do centro e dotados de pouca infraestrutura, levando seus moradores a percorrerem longos trajetos diários, o que compromete sua qualidade de vida e a mobilidade urbana. Já a Mooca é referência na oferta de transporte público, comércios e serviços, com o metro quadrado avaliado em R$ 5.320, em média. Trata-se de um dos 23 bairros onde o preço de venda dos imóveis está 35% acima do valor real, segundo dados do Índice Preço Real Exame-Loft

Através dessa iniciativa inédita, iniciativa privada e poder público se unem para democratizar o acesso à cidade para a população de todos os perfis socioeconômicos, com o objetivo de transformar não apenas o cenário imobiliário da região, mas também os parâmetros da produção habitacional e a realidade das famílias beneficiadas.

Primeira PPP habitacional de SP firma contrato com moradores



Previous articleEvento discute investimentos em países africanos de língua portuguesa
Next articleStartup transforma dados em estratégia para PMEs